O LOBO E O CORDEIRO

Assim sendo, fica o conselho: identifique esses lobos e não negocie com eles.

Por Lorena (Duquesa Bessières D´Ístria) 03/12/2021 - 19:12 hs


As Fábulas de Esopo são pequenas histórias, que narradas em prosa simples e direta, evidenciam uma conclusão moral. Há registros de mais de 500 fábulas de Esopo, todas em prosa. Hoje ficaremos com O Lobo e o Cordeiro.

Dizem que um cordeiro inocente bebia água em um rio, quando um lobo faminto decidiu devorá-lo. Perverso, o predador resolveu forjar uma justificativa para o ataque: embora ele estivesse rio acima, acusou o cordeiro de sujar a sua água, impedindo-o de matar a sede.


Fábula: O lobo e o cordeiro, texto de Monteiro Lobato | Peregrinacultural's  Weblog


O cordeiro respondeu que apenas sugava a água, de modo que o rio permanecia limpo. Além disso, estando a jusante, seria impossível sujar a água do lobo.

O lobo prosseguiu em seu plano, afirmando que no ano anterior o cordeiro havia insultado sua família. O pequeno animal respondeu que isso seria impossível, pois nem mesmo tinha nascido!

Encurralado e sem conseguir encontrar uma justificativa plausível, o lobo devorou o cordeiro.

Os fabulistas apontam que a essência dessa fábula seria mostrar que algumas pessoas, quando determinadas a fazer o mal, não podem ser convencidas.

Assim sendo, fica o conselho: identifique esses lobos e não negocie com eles.

Se você gosta de uma mídia honesta, que traz a opinião de colunistas sensatos e sem “rabo preso”, saiba que nós também!

Por isso precisamos do seu apoio. Com menos de R$0,35 centavos por dia, você estará nos ajudando a informá-lo com imparcialidade e transparência, todos os dias!

Basta clicar no link abaixo:

https://apoia.se/tribunadiaria

Logo do APOIA.se