DOAÇÃO DE SANGUE

Bônus: pedido de sangue a um amigo

Por Lorena (Duquesa Bessières D´Ístria) 25/04/2022 - 21:17 hs

O Brasil é o maior país da América Latina, ocupando o quinto lugar mundial em tamanho de território e o quinto em população, contando com mais de 210 milhões de habitantes. Em um país tão amplo, prevalece a heterogeneidade (populacional, de escolaridade, renda e exposição a riscos), além da boa fama do povo brasileiro, segundo as boas línguas, rico em alegria e solidariedade.

Apesar disso, a cada mil habitantes, somente 16 pessoas doam sangue!

A falta de informação é provavelmente o principal fator que impede a melhora dos estoques de sangue nos hemocentros. Para melhorar esse índice, é preciso desfazer alguns mitos.

IDENTIFICAÇAO

Para doar sangue é preciso um documento oficial de identidade com foto, tais como carteira de registro civil, carteira nacional de habilitação, carteira de trabalho, passaporte, registro nacional de estrangeiro, certificado de reservista ou carteira de identificação profissional emitida por entidade oficial de classe.

IDADE

O ideal é que o doador tenha entre dezoito e sessenta e nove anos, mas menores também podem doar, a partir dos dezesseis anos - mediante autorização formal por escrito e acompanhamento do responsável legal. Caso seja a primeira doação, a idade limite é de sessenta anos.

PESO E CONDIÇOES GERAIS

O voluntário deve pesar ao menos cinquenta quilos, ser e estar saudável, não estar em jejum e nem ter ingerido alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação.

PESSOAS IMPEDIDAS DE DOAR SANGUE

A lista de impedimentos é grande e constitui uma medida de segurança, tanto para os pacientes, quanto para os doadores. Não podem doar as pessoas que tiveram hepatite após os onze anos de idade, as diagnosticadas com doença de Chagas, malária ou sífilis, histórico de câncer ou enfermidades autoimunes (Hashimoto, lúpus, artrite reumatoide, esclerose múltipla, dentre outras).

Pessoas que se encontram em comportamento ou situações de risco ou histórico de doenças transmissíveis pelo sangue, ou que tenham piercing bucal ou genital também estão proibidas de doar sangue.

Quem tenha recebido transfusão de sangue ou de hemocomponentes no último ano, esteja resfriado ou com qualquer outra infecção, tenha sido vacinado recentemente, igualmente não podem fazer esse lindo gesto. Mas atenção: o período de impedimento para a doação varia de acordo com o tipo de vacina. Por isso, vale a consulta ao hemocentro mais próximo.

O histórico de cada candidato é avaliado individualmente e é muito importante que o cidadão seja sincero ao responder à triagem.

INTERVALOS PARA DOAÇÃO

Os homens precisam fazer um intervalo de sessenta dias entre as doações, com o limite de até quatro vezes anuais. Enquanto isso, as mulheres precisam de um intervalo maior, noventa dias, com o limite de três doações por ano.

CUIDADOS APÓS A DOAÇÃO

O voluntário precisa manter o curativo no local da punção por pelo menos quatro horas, evitar esforços físicos exagerados nas doze horas seguintes, sempre aumentar a ingestão de líquidos saudáveis, evitar bebidas alcoólicas por ao menos doze horas e não fumar por cerca de duas horas.

Os indivíduos que trabalham em andaimes, conduzem motocicletas ou veículos de grande porte, também devem evitar fazê-lo nas doze horas seguintes.

DIVULGUE!

Se você não pode ser doador, de modo temporário ou permanente, contribua para um Brasil melhor, divulgando essas informações e ajudando a salvar vidas.

DOE SANGUE!

E se você mora em Lajeado (Rio Grande do Sul) ou redondezas, e pode doar sangue, pedimos uma pequena ajuda ao nosso colega Andrius, que está precisando de doações com urgência, após sofrer um acidente. Dados: Andrius Victorio Civa da Silva Dias, Hospital Bruno Born Lajeado, UTI, leito 17. As doações podem ser feitas das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Ajude a salvar essa vida!