A AGENDA SECRETA

Afinal, a quem servem esses Senhores?

Por SILVIO MUNHOZ 27/08/2020 - 19:54 hs

Da Corte Maior de Bandidolândia.

“A constitucionalização e a revisão judicial se tornaram hoje “globais”: tudo é passível de ser judicializado, ou seja, juízes não eleitos e sem responsabilização política estão se constituindo em principal corpo decisório no mundo contemporâneo, o que certamente põe em questão a ordem democrática” Maria Rita Loureiro em resenha sobre a obra de Hirschl[1].

                                              

  Eu sei, caros leitores, vocês querem conhecer mais sobre a origem, os habitantes, os costumes, a forma, o como e o porquê de Bandidolândia haver chegado a situação atual e, pretendo saciar suas curiosidades, futuramente. Porém, o turbilhão atual de acontecimentos, com um verdadeiro tsunami de interferência dos não eleitos é impossível desviar o assunto da Superintendência Total dos Fatos.

  Falamos de alguns dos desmandos na crônica ‘o Governo dos Não Eleitos’[2], quando começamos a contar como estavam subvertendo o que deveria ser uma Democracia, conforme a Lei Maior do País em uma Ditaduro-cra-cia, ou melhor, uma Juristo-cra-cia, pois nosso fictício País está vivenciando uma ditadura de juízes não eleitos.

  Nessa perversa subversão, a vontade dos milhões e milhões de habitantes do País - em sua grande maioria, gente honesta, decente, trabalhadora - de nada vale, pois é submetida às vontades e imposições de 11 não eleitos, a grande maioria colocada no posto pela ‘elite política’ que dominou o País por quase 30 anos e, como sabido, dita ‘classe’ nunca esqueceu seus compromissos com o comuno/socialismo e o Globalismo, embora haja variado com o passar dos tempos do centro-esquerda para a esquerda radical, essas ligações serão temas abordados em outro momento, com certeza, pois representam a origem dos malfeitos de Bandidolândia.

  Pois bem, voltemos à Superintendência para não perder o foco, um dos ‘membros ungidos’, de ‘vampiresca brasilidade’, que lembra um personagem humorístico de um dos vizinhos Países de Bandidolândia, resolveu interferir na política monetária e questionar o Presidente do Banco Primordial de Bandidolândia sobre a intenção de criar a nota de P$ 347 (patacões), claro, não poderia ser diferente, tal interferência ocorre atendendo pedido de minúsculos partidos não eleitos, mas que usam o Judiciário para governar.

  Já outro, cujas características me nego a dizer, nem quem lembra, questiona a legitimidade do resultado da última eleição pela simples razão de o ‘seu preferido’ haver sido impedido de concorrer.  Importante lembrar que o impedimento para tal personagem participar foi julgado por outra Corte, a Total Superintendência das Eleições, responsável pelos pleitos do país.  O impedimento ocorreu pelo singelo fato de à época o ‘preferido’ estar preso, condenado em 03 instâncias por crimes de lesa-pátria.  Mas o nosso Membro, que participou do julgamento e foi derrotado de forma fragorosa, com o placar de 6 X 1, julga-se agora no Direito de criticar seus pares, dizendo que tal decisão não fez bem para a democracia do País...  qual o porquê da crítica??  Será pelo fato do Partido de sua predileção haver perdido??  Não sei, caros leitores, não possuo todas as respostas.  Tirem suas conclusões!..

  Muito bem, eu sei, vocês devem estar brabos comigo e loucos para me dizer, mantenha o foco, vai lá afinal qual é essa agenda secreta da Superintendência Total dos Fatos??

  Como é sabido por todos, está chegando a hora da troca da Coordenação da Corte de Bandidolândia, inclusive, já eleito o novo Coordenador.  Pois, pasmem, em entrevista a um famoso ex-jornal conhecido como ‘A Foice’, em meados de Agosto, o novo Coordenador revela que a corrente política do Presidente eleito o impedirá de pautar assuntos como aborto e drogas para evitar polêmicas com o Governo durante o momento de crise em decorrência da pandemia viral. 

  Louvável a iniciativa de evitar celeumas e prejudicar a governabilidade do País.  Porém, choca, por outro lado, saber que a Corte Maior está interessada em promover tais medidas  Globalistas, pois, sabidamente, são pautas internacionais de controle populacional e social, ou seja, possui uma agenda secreta, até agora escondida dos concidadãos.

  Será que os Superintendentes não sabem que a grande maioria de nossos habitantes é contra a pauta do Aborto, vejam a pesquisa realizada pelo conhecido instituto de pesquisa OBOE (oficina bandidolense de opinião e estatística) - realizada três vezes nos últimos 20 anos: em 2010, 78%; em 2016, 78% e em 2018, 80% da população manifestou repulsa ao assassinato de crianças no útero da mãe[3]. Será que desconhecem o fato de a liberação das drogas aumentar a criminalidade, como um todo, como aconteceu no Uruguai onde cresceu de forma assustadora – os homicídios em torno de 66% -, após a medida liberadora?? 

  Afinal, a quem servem esses Senhores??  Esse desejo insano de conceder privilégios à bandidagem é só fruto de ideologia ou há algo que nossa vã filosofia não consegue perceber??  Tirem suas conclusões, caros leitores!..  Como disse antes não possuo todas as respostas.

“Como resultado, a principal corte da justiça [...] é hoje, pela deformação           patológica que lhe está sendo imposta por seus ministros, o principal fator de instabilidade política, econômica e social deste país.” J.R.Guzzo[4]

 


Silvio Miranda Munhoz, cronista da Tribuna do dia a dia.  O mundo aqui retratado é uma ficção e qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência...


[1] https://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v29n84/11.pdf

 

[2] https://www.tribunadiaria.com.br/ler-coluna/470/o-governo-dos-nao-eleitos.html

 

[3] http://www.puggina.org/artigo/outrosAutores/aborto-nao-em-meu-nome/12175

 

[4]https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwiyls2c2rjrAhWuHrkGHXC_AdAQFjAFegQIBhAB&url=https%3A%2F%2Fjovempan.com.br%2Fopiniao-jovem-pan%2Fcomentaristas%2Fj-r-guzzo%2Fstf-um-partido-politico.html&usg=AOvVaw0Ylo5ow3NWJB3_MxwZO9i_