O Estado é laico e eu não tenho que ter fé!

E da mesma forma que não sou obrigado a nada disso, também não posso ser proibido de nada disso.

Por ADRIANO MARREIROS 30/11/2020 - 18:46 hs

O Estado é laico e eu não tenho que ter fé!

Meu Deus, por que me abandonaste

Se sabias que eu não era deus

Se sabias que eu era fraco

Carlos Drummond de Andrade aparentemente

 lamentando não crer em Deus


 

Vivem dizendo que o Estado é laico, então eu não sou obrigado a ter fé.  Eu não posso ser obrigado a seguir nenhuma fé.  Não posso ser obrigado a louvar nenhum deus.

E se não posso ser obrigado a louvar nenhum deus, também não posso ser obrigado a louvar nenhum homem, nenhum Olimpo, nenhuma máquina, mesmo que construída pelas mãos habilidosas de Hefaísto.


.

E da mesma forma que não sou obrigado a nada disso, também não posso ser proibido de nada disso.  Posso louvar qualquer deus, qualquer Olimpo, qualquer máquina, mesmo que de origem e funcionamento estranhos.  O Estado ser laico me garante que eu louve ou não.  Mesmo que se trate de uma máquina, eu posso louvá-la ou repudiá-la, seja em nome da fé que EU tenho no Senhor Meu Deus ou em nome da lógica, ou da falta dela ou de qualquer motivo que eu queira ou não declarar.


O dogma da infalibilidade é próprio das religiões. Duvidar dele só pode ter consequências no âmbito de cada igreja ou impostas pelo próprio deus de sua crença.  Não pelo Estado, o Estado é laico: e assim, não pode impor dogmas de fé!  Não pode exigir a fé das pessoas em nada.  O cidadão pode acreditar no que quiser, duvidar do que quiser, expressar essa sua dúvida ou certeza.  O Estado, sendo laico, nada pode fazer quanto a isso: enquanto um deus grego poderia fulminar alguém com um raio, até por inveja e soberba, como fez Zeus com Asklepius, os senhores dos homens estão proibidos pela Democracia e pelo estado laico.  O uso do relâmpago sith[1] é inconstitucional também... ao menos enquanto o Império não contra-atacar...

Da mesma forma, não se pode perseguir alguém por expressar sua fé e sua cultura, coisa que vem acontecendo, por exemplo, há mais de 2000 anos contra os Cristãos, há mais de 3000 contra os Judeus: cristofobia e antissemitismo.  Ninguém também pode perder sua liberdade, sua vida ou seus bens por não louvar algo ou alguém, como acontecia com os que não louvavam os césares: hoje, podemos não só deixar de louvá-los, mas  até mesmo, criticá-los.

Quando a trama de uma peça de teatro grega chegava a um ponto que não teria como ser resolvida, recorria-se ao deus ex machina :  por meio de uma máquina, um deus era colocado em cena e sua decisão arbitrária e seu poder resolviam tudo. 

Não podemos recorrer a esse pretenso deus que pode tudo e nem emulá-lo,  confundindo ficção com realidade: somos um Estado laico... Não há obrigação de ter fé em máquinas,  mesmo as eletrônicas e declaradas invioláveis, mesmo que haja trânsito em julgado: nem mesmo o trânsito em julgado poderia violar nem as cláusulas pétreas, nem a realidade, ao menos em uma Democracia, ao menos no mundo real...

Liberdade, ainda que à tardinha...

O Grande livro dos pensamentos

de Casseta e Planeta

 

Crux Sacra Sit Mihi Lux / Non Draco Sit Mihi Dux 
Vade Retro Satana / Nunquam Suade Mihi Vana 
Sunt Mala Quae Libas / Ipse Venena Bibas

(Oração de São Bento cuja proteção eu suplico)

 

 Adriano Alves-Marreiros

Cronista, pessimista, Mestre em Direito, membro do MCI e MP Pró-Sociedade e autor da obra Hierarquia e Disciplina são Garantias Constitucionais, da Editora E.D.A.



[1] Raios de energia usados pelo lado negro da Força, os Lordes Sith e seus aprendizes, na saga de Star Wars.