"TUDO QUE ESTIVER NA LEI EU VOU FAZER"

O caminho menos traumático e impactante do ponto de vista humanitário.

Por DIOGO FORJAZ 18/04/2021 - 15:54 hs

Do lado da racionalidade e do povo, está a constituição. Do lado da esquerda, está quem pede revolução.


Muito embora o presidente e as FFAA não considerem esta possibilidade, conforme disse o próprio presidente recentemente:

"TUDO QUE ESTIVER NA LEI EU VOU FAZER".

Pedir revolução abre precedentes para narrativas úteis à cretinos como Macrón.


Não há "intervenção" em nosso regramento jurídico atual como havia em 1964, desta forma uma eventual intervenção militar seria um ato revolucionário, sem qualquer base em qualquer regramento estabelecido. Neste sentido, a figura civil do presidente da república perde o valor e pode fácil, e provavelmente, ser afastada.


Além disso, sem uma constituição, sem base no ordenamento jurídico para direitos e garantias, sem democracia e estabilidade, haveria uma fuga de capitais que tornaria o Brasil mais pobre que a Venezuela, em semanas.

Abriria ainda a possibilidade de sofrermos intervenções internacionais com a desculpa de preservar a Amazônia "patrimônio da humanidade", tudo que a ESQUERDA quer. 


Para criminalizar o comunismo, para se fazer uma nova constituição, não há necessidade de uma revolução. Basta convocar pelo congresso nacional referendado pelo povo, uma nova assembleia nacional constituinte e, mais uma vez redigir e aprovar DEMOCRATICAMENTE uma constituição.

Evidentemente isso só poderá ser feito depois da faxina geral para restabelecer a democracia tolhida pelos atuais ocupantes do STF e do congresso. 


Portanto, existe um caminho menos traumático economicamente, menos impactante do ponto de vista humanitário, de melhor aceitação internacional e consequentemente de maior estabilidade para o país. Conforme estabelecido no artigo 142 da constituição atual, o presidente pode acionar as FFAA para restabelecimento da lei e da ordem.


Para processar, indiciar e aplicar a lei sobre as autoridades que cometeram crimes contra a república.

Desta forma a constituição continua valendo e o Presidente, através dela, permanece chefe supremo das FFAA e presidente da república, permanecemos uma democracia e ninguém pode meter o bedelho aqui.


Haverá previsibilidade legal para as ações que seguem, evitando a fuga de capitais, e não só restabelecendo, como fortalecendo a confiança internacional após o processo. Significa, na pratica, recuperação econômica rápida. Trabalho na carteira, comida na mesa e desenvolvimento livre para todos. Agora eu te pergunto, de que lado você está? Da esquerda, ou do povo?


 DIOGO FORJAZ PARA O TRIBUNA DIÁRIA