OS TROPEGOS DA ALMA

É assustadoramente desesperançoso olhar para o horizonte e não vislumbrar nenhuma perspectiva.

Por JOÃO DANIEL 23/04/2021 - 22:00 hs

Prezados, boa tarde. Hoje acordei meio trôpego, não das pernas, mas da alma.


É assustadoramente desesperançoso, aos 22 anos de idade, cursando Faculdade de Direito, olhar para o horizonte e não vislumbrar nenhuma perspectiva.


Hodiernamente, o Poder Judiciário brasileiro encontra-se embebecido de mácula colérica, numa escalada autoritária que pode arrastar, à bancarrota, o senso de Direito e o espírito de Justiça que, um dia, esculpiram o Estado Democrático de Direito no Brasil.


Membros do Ministério Público, da Defensoria Pública, das Magistraturas Estadual e Federal, bem como das Cortes Superiores, comungaram-se em uníssono, em flagrante acinte à Constituição Federal e aos princípios republicanos que, um dia, modelaram com destreza o convívio em sociedade desta morrediça nação.


Parlamentares presos e processados por inexistente flagrante em crime inafiançável de opinião. Na mesma toada, Magistrados perseguidos e processados, decrepitamente.


"Ninguém respeita a Constituição. Mas todos acreditam no futuro da nação. Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse?" Indagar-nos-ia a lendária Legião Urbana.


Diante de tantas decisões judiciais desbragadas, posicionamentos políticos teratológicos, como também do avanço do verdadeiro fascismo progressista, globalista e apocalíptico, eu decido manter-me firme, assim como se manteve firme o nosso Senhor Jesus Cristo, perante seus algozes.


Eu não irei desistir da minha pátria. Enquanto tiver fôlego de vida e força vital para lutar, assim o farei. E convoco a todos os estudantes de Direito, futuros Operadores do Direito e da Justiça, a insubordinarem-se ante a draga maquiavélica travestida de Direito que impõe-se contra o povo brasileiro.


Conclamo hoje, dia 27 de março de 2021, a engrossarem as fileiras e trincheiras da verdadeira Justiça, nessa luta contra a ditadura da toga. Convido a ombrearem juntos a Defensores, Promotores e Magistrados valorosos e virtuosos, que não estão poupando nem mesmo a segurança de seus cargos, para defenderem a fumaça do bom Direito.


"O fim do Direito é a paz; o meio de atingi-lo, a luta. O Direito não é uma simples idéia, é força viva. Por isso a justiça sustenta, em uma das mãos, a balança, com que pesa o Direito, enquanto na outra segura a espada, por meio da qual se defende." (A Luta pelo Direito - Rudolf Von Ihering).