A VERDADE DOS FATOS.

Sobre as assertivas da presunçosa ex-imprensa a serviço de políticos e ideologias

Por SILVIO MUNHOZ 29/04/2021 - 21:07 hs


“A política e a ideologia formam uma combinação perigosa em tema de manipulação, pois aliam o ideal abstrato, qual seja a ideologia, ao real agente transformador, que é a política. Adicione-se a essa mistura o ingrediente de empáfia do jornalista intelectualizado e teremos como produto final uma imprensa presunçosa, soberba e autoritária, que, imbuída dos seus propósitos, julga saber o que é o melhor para o cidadão e para a sociedade, distorcendo acontecimentos, omitindo notícias, fantasiando dados e até propagando o terror.” Bernardo Guimarães Ribeiro em Nadando contra a corrente.

Essa é a realidade que vivemos após o surgimento da ChinaVírus a empestar o Mundo e o Brasil. A política, a ideologia e a ex-imprensa brasileira se aliaram com o objetivo claro de sabotar o atual governo inconformados com a última eleição que quebrou um ciclo de mais de 20 anos da esquerda no poder e fechou as torneiras da corrupção, deixando muita gente com sede da espúria bebida que delas jorravam, às custas dos impostos pagos pelos trabalhadores (muitos, igualmente, adeptos da Nova Ordem Mundial enxergam a oportunidade para antecipação dos planos de dominação).

Por um ou outro motivo, estamos vivenciando isso, fingem saber o que é melhor para o combate ao vírus e mentem de todas as formas, só revelam os números capazes de causar medo, distorcem a verdade sobre medicamentos, buscam que se adotem medidas que sepultam as liberdades dos cidadãos, criam um cenário como se o mundo fosse acabar amanhã causando um clima de terror na população. Assim, criam uma nefanda trilha, pavimentada com cadáveres, CNPJs, reputações, muitas reputações e cancelamentos.

Basta ver o que fazem com qualquer pessoa ou médico que ouse defender tratamento precoce, seja qual for o coquetel de medicamentos que pretenda utilizar. Pode ser a pessoa com as melhores boas intenções (salvar vidas, por exemplo) ou médicos reconhecidos no país e até mundialmente. Da noite para o dia vai virar um demônio, discípulo dileto do satanás que quer matar o povo, com remédios sem comprovação da “sciência[1]” e que possui tenebrosos efeitos colaterais (suas postagens em qualquer rede começam a ser vigiadas, são censuradas, apagadas etc..).

Mostrar a realidade deveria funcionar, mas fingem não conhecer o conceito da medicina empírica, existente desde a Grécia antiga e que parte da observação, negam o empirismo que se embasa não na observação da situação vivenciada por uma só pessoa, pois para estabelecer conhecimento é necessária confirmação, e, para tanto, é exigida repetição da ocorrência inúmeras vezes.

Bom, mas e quanto ao tratamento precoce ocorreu essa experimentação múltipla a comprovar as benesses do tratamento? Vejam 04 experiências sem especificar os coquetéis, pois possuem pequenas variações: Dr. Raoult, França, 6 óbitos em 8500 pacientes tratados; Drs. Fared e Tyson, EUA, 2 falecimentos em 5000 pacientes; Dr. MIgowski, no Rio, 0 mortes em 4000 tratamentos e Dr. Zeballos em São Paulo; 2 mortos num universo de 2500 pessoas tratadas. Muitos outros poderiam ser os exemplos, são milhares espalhados pelo mundo...

Caso você fale isso para algum daqueles personagens, pode saber a resposta é certa: não possui estudo científico, duplo cego, randomizado, padrão ouro, publicado e revisado por pares... Existem, sim, centenas de estudos científicos sobre os remédios que compõem o tratamento precoce (embora só a observação empírica, com tantos casos, já fosse suficiente ou esses milhares de vidas salvas são meros detalhes ou coincidência), muitos deles com o triplo salto carpado, de olhos vendados com nota média dos jurados para medalha e ouro e revisão pelo VAR (como carinhosamente apelidei a exigência de “Sciência” feita por nossa ex-mídia para aplicação de tratamento em tempos de pandemia). Não vou aqui detalhar, pois a crônica ficaria imensa, a maioria pode ser encontrado em c19study.com.

Bom, mas se não pode usar isso fazer o quê? Olha a receita deles é usar “paracetamol” e “dipirona” e ir para casa, caso fique com falta de ar vá ao hospital para ser intubado.  Claro não contaram para ninguém que esses dois remédios, também, não possuem aquele tipo de estudo para aplicação ao ChinaVírus, não curam ninguém e, mais, possuem efeitos colaterais sérios, sendo o paracetamol[2], inclusive, um dos remédios apontados como dos maiores causadores de problemas hepáticos... Ah, esqueceram de falar outra coisa, que no início 80% das pessoas intubadas por causa do ChinaVírus morriam e, que, embora a porcentagem haja diminuído, hoje o número de óbitos varia de 60 a 70%...

Claro, você deve estar se perguntando, muito bem, não pode a primeira hipótese e se a segunda não funciona, fazer o quê? Olha, segundo esse pessoal, “fique em casa”, ou seja, todo mundo deve ficar encerrado (claro eles podem dar algumas fugidinhas), mascarado e distanciado de qualquer contato com o mundo externo, senão o bicho pega!..

Claro, eu sei, a pergunta está na sua cabeça. E isso funciona? Vamos pegar para análise um caso bem próximo, da nossa vizinha Argentina.  Fechou as fronteiras, suspendeu voos domésticos e internacionais, restringiu a utilização do transporte público, em suma, realizou um dos mais severos lockdown da América do Sul com duração de quase um ano e poucos afrouxamentos no seu percurso, inclusive, nos últimos tempos com toque de recolher entre 20 e 06h e forças federais destacadas para ajudar na fiscalização e recolher eventuais insurgentes a desobedecer as medidas.  Qual o resultado? Ostenta hoje a posição de 5º País do mundo com mais casos e o 12º em óbitos[3]. (O exemplo poderiam ser vários Estados brasileiros, mas resolvi fazer com um País).

Claro, já vi artigo (não vou citar o nome para não dar moral) onde o autor sustentou a monumental pérola, o caso da Argentina não demostra que o lockdown não funciona, somente que ele foi mal aplicado. Quando li, tive um lampejo de dejá vu, até custei a perceber o porquê da sensação, quando lembrei do comuno/socialismo que onde subiu ao poder exterminou com todos os direitos dos cidadãos – exceto o de seguir as ordens do Partido – e espalhou fome, miséria, sofrimentos incomparáveis e em conjunto, somados todos os lugares onde efetivamente aplicado, matou mais de 100mihões de pessoas, em tempos de paz. Porém, fale com qualquer adepto da causa e dirão que é o sistema perfeito e só não funcionou, ainda, pois até hoje foi mal aplicado.

Alguém poderia fazer uma última pergunta, claro, pois ‘eles’ sempre diziam: “fecha tudo a economia a gente vê depois”. Como está a economia de nossa irmã Argentina? Pior, a notícia é muito triste, segundo os dados da Hanke’s Annual MIsery Index (HAMI) – coloque o nome em qualquer buscador que aparece -, ocupa hoje a posição de 7º País mais miserável do planeta.  Isso é muito triste para um povo que já ocupou a posição de 6ª economia mundial.

Não sei o motivo, mas lembrei de alguém que repetia e repete até hoje: a saúde e a economia precisam caminhar juntas. Tinha razão, com certeza, mas, ofendido com todos os palavrões possíveis não recebeu um único pedido de desculpas e as forças mencionadas criaram uma CPI para o investigar.

Perceberam como as assertivas da presunçosa ex-imprensa a serviço de políticos e ideologias não passam de narrativas que não aguentam o enfrentamento com a realidade das ruas e a verdade empírica que delas emerge, pois quando confrontadas se desmancham como um castelo de cartas que desaba ao sopro da menor brisa...  Porém, negacionista, terraplanista, fascista, racista, sexista etc., É VOCÊ que tem a petulância de tentar derrubar sua torre de mentiras!..

“[...] termos que foram herdados de defuntas teorias. Podem ter uma aura de autoridade, mas também distorcem as percepções e oprimem a consciência com aquele tipo de “novilíngua” satirizada de maneira brilhante por George Orwell em 1984. O propósito de Orwell ao escrever o livro era mostrar que o jargão desumanizador do marxismo também produz um mundo no qual as pessoas se tornam abstrações e a verdade é um mero instrumento nas mãos do poder.” Roger Scruton em Como Ser Um Conservador.

 

Que Deus tenha piedade de nós!..


     Silvio Miranda Munhoz


cronista da Tribuna Diária, Presidente do MP pró-sociedade e membro do MCI (Movimento contra a impunidade). As ideias desta crônica representam, única e exclusivamente o pensamento do autor.

 

 



[1] O “S” é de sua, pois é uma ciência que só existe na sua cabeça...

[2] https://www.funcionalcorp.com.br/funcionalcard/com/os-riscos-alarmantes-de-10-remedios-que-todo-mundo-consome/

[3] https://www.bbc.com/portuguese/internacional-54576548