O BRASIL NÃO É UM PAÍS SÉRIO

Enfim, tudo que foi combatido com veemência pelo sistema de justiça pode estar indo para o ralo...

Por Cesar D. Mariano 11/06/2021 - 21:53 hs

Muito embora a frase “O Brasil não é um país sério” não tenha sido proferida por Charles de Gaulle, mas pelo embaixador Carlos Alves de Souza, não deixa de ser verdade.

 

Vimos, nos últimos anos, como a coisa pública foi usada por políticos e empresários inescrupulosos em seu próprio favor, mediante desvio e apropriação de bilhões de reais. A gana por dinheiro público foi tanta, que milhões de reais eram como esmola, chegando-se ao ponto de serem guardados em um apartamento para uso eventual. O grosso mesmo foi transferido para paraísos fiscais e muito pouco se recuperou.

 

A devolução individual pelos colaboradores de dezenas de milhões de reais, mesmo se encontrando em segundo ou terceiro escalão na ordem de nomeações pelo governo federal da época, demonstra a magnitude do dinheiro público desviado e da propina paga para que isso ocorresse.

 

Líderes de partidos da base do governo e seus tesoureiros foram condenados e cumpriram penas por corrupção e lavagem de dinheiro. Não há como negar que alguns partidos políticos agiam como organizações criminosas voltadas para o desvio de dinheiro público. E as condenações no “Mensalão” e na “Lava-jato” estão a demonstrar isso, notadamente pelo inimaginável montante de dinheiro desviado dos cofres públicos e fruto de propinas de todas as ordens recuperados.

 

Contudo, o brasileiro tem memória curta e se deixa levar por campanhas acirradas para que o Brasil retorne ao status quo anterior. Com isso, o mecanismo corrupto pode retomar o poder para fazer o que sabe melhor, que tanto mal fez para o Brasil e a esmagadora maioria dos brasileiros em gestões anteriores. São inúmeros os casos ocorridos que todo brasileiro minimamente informado conhece muitos de cor, sequer havendo necessidade de nomeá-los.

 

Assusta a probabilidade de que voltemos a ser o país da corrupção, que atualmente pouco se fala e se tem conhecimento.

 

Não tenho como afirmar que a corrupção desapareceu no governo federal, visto que cometida na clandestinidade. Mas não há notícia concreta na mídia de que ela exista, e, com certeza, caso existisse, estaria sendo veiculada a todo instante e em todos os locais possíveis. Não há nenhuma denúncia oferecida e recebida por corrupção ou delito conexo de alguém ligado ao governo com cargo de primeiro escalão. Rumores sempre haverá, até pela oposição ferrenha que é realizada por diversos setores e pessoas, notadamente pela mídia, mas nada de concreto apurado e muito menos condenação em qualquer instância.

 

Diferentemente de governos anteriores em que a corrupção e lavagem de dinheiro se tornou lugar comum, resultando em inúmeras condenações, que atingiram diversos políticos influentes e poderosos empresários.

 

Algumas dessas condenações foram anuladas, mas por vícios formais, e não reformadas pelo mérito, isto é, as provas continuam lá e basta serem reproduzidas ou validadas, a depender do fundamento da anulação. Ou seja, nesses processos não houve absolvição dos investigados e processados, mas apenas anulação dos processos por entender a Suprema Corte ter havido nulidades processuais.

 

Não estou a criticar políticos ou governos passados por serem conservadores ou progressistas, de direita ou de esquerda. Não é este o caso. Mas por serem desonestos. Tudo o que o Brasil não precisa é o retorno da roubalheira de dinheiro público. Esse ideário está impregnado na consciência de diversos políticos, muitos alijados do poder, que veem a coisa pública como de sua propriedade e não da população, que deve ser a destinatária final de todos os recursos e serviços públicos.

 

Enfim, tudo que foi combatido com veemência pelo sistema de justiça pode estar indo para o ralo e a corrupção, desvio de dinheiro público e crimes a eles relacionados retornar com toda força, para o delírio do sistema corrupto, que só aguardava a oportunidade correta para ressurgir e não mais sair.

 CESAR D. MARIANO PARA O TRIBUNA DIÁRIA