O ENGODO

E o Presidente segue dando respostas ríspidas para perguntas idiotas

Por Eduardo Vieira 27/06/2021 - 14:28 hs


Nestes dias o presidente Jair Bolsonaro deu algumas ríspidas respostas a jornalistas que o provocavam. Observei que de todos os lados surgiram críticas fortíssimas a essa atitude. Será que o presidente errou desgraçadamente ao dedicar aquele tipo de tratamento à grande mídia?


Ora, qualquer um que observe a realidade percebe que a grande mídia há muito tempo não tem nada de mídia. Não são jornalistas que lá trabalham e não há nenhum interesse na divulgação de fatos e muito menos na exposição da verdade. A grande mídia mundial há tempos que transformou-se num grande coletivo militante dos regressistas de diversos sabores.


O espanto então pela fala do presidente é a suprema hipocrisia ou a completa falta de noção de proporções.


No Brasil hoje deputado federal é preso por declarações ofensivas. Pessoas saudáveis são obrigadas a usar substâncias experimentais sob pena de proibição de viagem, locomoção ou trabalho. 

A verdade científica é oculta com grande esforço e virulência. E quando enfim aparece, rompendo as barreiras, os censores apenas criam outras barreiras mais atrás e seguem boicotando contas e calando as vozes dissonantes.


Palavras são proibidas e o pensamento é controlado e moldado ou deformado por regras cada vez mais incoerentes e insustentáveis. Toda ousadia em desafiar a censura imposta resulta em perseguição e cancelamento.


A matemática, a gramática e até a biologia são atacadas todos os dias, num gigantesco esforço feito para garantir a solidificação do pensamento mais totalitário jamais criado em nossa história.


Milhões de crianças são mortas no ventre todos os anos no que já é o maior genocídio da história da Humanidade. Bandidos são soltos repetidamente por defensores da mesma ideologia assassina que matou outros milhões no século passado.


Tudo isso é feito sob a augusta chancela da legalidade, com doutos representantes de "entidades" explicando que a grama é azul e defendendo que o que não funciona deve ser tentado de novo e de novo, como o girar repetido de uma chave numa porta até que uma janela se abra.


Tudo pode, menos riscar o verniz pueril da falsa cordialidade, da malícia disfarçada. Matam, perseguem, prendem e calam mas são vítimas terrivelmente atacadas por uma palavra atravessada.


Há os que crêem que chegamos ao ápice da nossa civilização. Que nunca tivemos tantas benesses e tanta riqueza. Temos riqueza sim, mas nunca o mal teve tantas e tão fortes ferramentas para controlar o povo.


Com muito menos que isso as carrancas terríveis de Hitler, Lênin e Mao se ergueram. Outras tentam chegar ao poder totalitário mas desta vez de forma subterrânea, traiçoeira e falsa.


Será que devemos restringir nossa linguagem e nossa reação à tamanha barbaridade? Será que é cabível uma crítica ao primeiro presidente que temos que luta contra tudo isso? O primeiro presidente que temos que fala de Deus e que defende de fato o povo?


Bolsonaro falha como todos os homens falham, pois somos imperfeitos. Mas basta uma pequena olhadela para seus inimigos que fica bem claro a quem devemos apoiar.


E recomendo a todos que tenham bastante cuidado em justamente escolher o adjetivo adequado quando se dirigirem a psicopatas, bandidos ou canalhas. Caprichem na linguagem para que fique claro o mal que eles representam.


Não se deixem calar nem controlar. A liberdade deve ser conquistada todos os dias.


colunista EDUARDO VIEIRA para o Tribuna Diária

-------------------------------------------

ATENÇÃO:

Nosso conteúdo é inteiramente gratuito e prezamos pela liberdade de imprensa e respeito para com nossos leitores.

Se você gosta do nosso trabalho, por favor, contribua conosco, fazendo um Pix no valor que desejar, pelo QR CODE acima, ou identificando  nosso e-mail : contatotribunadiaria@gmail.com