Dobrando a meta

Felipe Neto é a cereja do bolo, na República de Toga

30/07/2020 - 12:19 hs

Live entre o presidente do TSE, Luiz Roberto Barroso e o youtuber Felipe Neto ruma ao desastre com avalanche de "deslikes", poucas horas antes de estrear.

São dois fenômenos seguidos , envolvendo o ministro em uma posição de desprestígio junto ao público nas redes sociais. Haja vista que contratar Átila Lamarino para protagonista de uma campanha que visa abordar o impacto negativo da divulgação de notícias falsas nos processo  eleitoral brasileiro, foi recebido com grande onda de deboche por parte do público internauta.

Átila Lamarino explodiu nas redes sociais ao divulgar um estudo do Imperial College, do Reino Unido, segundo o qual o Brasil teria 1,1 milhão de mortos com a pandemia até agosto.

Já, os deslikes, tem relação com a onda de usuários de redes sociais que se uniu, nesta segunda-feira (27), para criar uma nova campanha contra Felipe Neto. Desta vez, críticos do youtuber levantaram a #TodosContraFelipeNeto colocando a tag em evidência.

Assim, as redes sociais vêm se tornando o campo de batalha onde a realidade bate á porta da bolha intelectual do ativismo político e judicial que assola o país.

Não é de se estranhar que o fenômeno seja atribuído algum tipo de "coletivismo" com pretenso "discurso de ódio" como narrativa dominante do momento...

Web inicia campanha: Agora é #TodosContraFelipeNeto

Por outra, o que nos estranha e muito! É que o Youtuber que já se propôs a confabular sobre órgão genital masculino, a ofender o público porque ele estava gastando dinheiro em uma balada em Las Vegas (EUA) e a pintar o cabelo de roxo e azul, tenha chamado a atenção para 37 entidades brasileira, que Juntas,  ignoram o passado recente do personagem e saem em sua defesa, como aponta o jornalista Anderson Scardoelli em excelente matéria da Revista Oeste, diferentemente do silêncio quase sepulcral dessas mesmas entidades em face das gravíssimas violações de direitos fundamentais de outros jornalistas e youtubers, perpetrados pela corte da qual o ministro Barroso faz parte.

O que levou o STF a ser denunciado na Corte internacional, pelo MP-PRÓ SOCIEDADE, como publicamos em primeira mão, no dia 26/05/2020