ÁLBUNS ICÔNICOS

Os 365 mais da história do Rock - 228

Por Colunista Misterioso 20/09/2020 - 22:18 hs

ARTISTA: Deep Purple
ÁLBUM: Stormbringer
Reino Unido (Inglaterra), 1974
Falamos do Deep Purple, em sua formação clássica, Mark II, nas colunas 50 e 175. Este segundo álbum da formação Mark III (que faria apenas três álbuns: Burn, de 1974, este Stormbringer e Come Taste the Band, de 1975) do Deep Purple e nono na contagem geral, este trabalho trazia o até então desconhecido David Coverdale (1951- ) nos vocais e Glenn Hughes (1951- ) no baixo, foi um trabalho convencional, mas convicente. Tinha na capa uma ilustração sobre foto de um tornado sobre Jasper, Minesota, em 1927, que já tinha sido usada por Miles Davis e seria novamente por Siouxie Sioux, embora de maneiras diferentes, e Stormbringer era a espada viva do rei Elric de Melniboné, personagem fictício de Michael Moorcock (1939- ), em histórias que se passavam em uma terra paralela, mais ou menos como um concorrente albino de Conan. Ritchie Blackmore deixou a banda logo depois desse álbum, descontente com os rumos que estavam tomando, muito “funky” para seu gosto. Daqui se destacam a própria “Stormbringer”, “Holy Man”, “Lady Double Dealer”, “The Gypsy” e a balada rasgadíssima (toda banda de hard que se prezasse tinha que ter uma dessas por álbum) “Soldier of Fortune”.