A tática de Joseph Goebbels

repita uma mentira tanto até que ela seja aceita como verdade.


A que ponto chegou o controle dos grandes meios de “informação” por pequeno grupo de pessoas e de interesses?


O que se percebe, quanto a alguns fatos recentes, é que, pouco importando a verdade, de nenhuma relevância os fatos, os trabalhos científicos quanto à hidroxicloroquina, por exemplo, ou quanto a fraudes na eleição americana, a chamada grande imprensa nos países ocidentais simplesmente os ignora, mantém o mesmo e “uniforme” discurso desde o início.


Quanto à hidroxicloroquina insistem em dizer que não haveria comprovação de que funcionaria, a despeito das dezenas de trabalhos científicos, inclusive duplamente randomizados, que constataram sua eficiência e segurança.


Quanto à eleição americana, também com absoluto desprezo por e completa indiferença ao grande número de evidências de enorme numero de irregularidades e fraudes, mesmo através de depoimentos juramentados (‘sworn affidavits’), mesmo sem que tenha havido resultado oficial em qualquer dos estados americanos, mesmo não encerrado ainda o processo eleitoral, a chamada “grande” imprensa repete a narrativa de que haveria um novo “presidente eleito” e de que as exigências de apuração de fraudes e graves irregularidades não passariam de conduta de mau perdedor.


Parece que adotaram integralmente a tática de Joseph Goebbels: repita uma mentira tanto até que ela seja aceita como verdade.


Na República de toga...Carlos Eduardo Fonseca Da Matta