EVENTO NÃO É MANIFESTAÇÃO

a venal diferença entre o orgânico e o artificial.

Por DIOGO FORJAZ 30/05/2021 - 08:57 hs

Este sábado foi marcado por mais uma pesquisa #DataRua. Desta vez não auferimos a defesa de valores, liberdades, tratamentos, investigações e direitos com famílias aos milhões.

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, monumento e ao ar livre


Diferente das nobres bandeiras ordeiras que outrora pintaram as ruas com as múltiplas cores da nação, espaçadas manchas vermelhas de ódio e ignorância alimentadas por propinas distantes e desinformações constantes, nos confirmaram a venal diferença entre o orgânico e o artificial. Com faces jovens, cartazes industrializados e novos demarcaram as velhas práticas sindicais, partidárias e apátridas.

 

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé e ao ar livre


Quando pessoas de verdade saem às ruas para se manifestar, levam seus corações, vozes e rabiscos. Poucos pagadores de impostos tem tempo e recursos para imprimir cartazes perfeitos, comprar faixas e ensaiar patéticas representações teatrais. Não há quem os organize para que cada material esteja estrategicamente posicionado, para o mesmo lado. E o “distanciamento” que amplifica a sensação de volume, quem faz? Ninguém! Entre vozes de clamor vemos braços estendidos dando movimento à multidão. Sem violência, depredação ou ocorrências.

  Pode ser uma imagem de 3 pessoas, pessoas em pé e ao ar livre


O que vimos hoje era simétrico, coordenado em meio a bandeiras partidárias, sindicatos e organizações. Meticulosamente planejado, distribuído, alimentado e denunciado nas redes. Vários relatos de pagamentos por participação, ocorrências policiais e violência. Os gritos não ecoavam, eram reproduzidos com certo tom de histeria, e quem diria, sem emoção. O vazio entre os poucos participantes do evento marcou também o conteúdo das imagens e palavras. A necessidade de fabricar a “oposição” deixa clara a real “posição” da população. O fracasso das mentiras hoje só fortaleceu o verdadeiro e íntegro objetivo de um povo marcado pela resiliência, fortalecido pela confiança, abastecido pela consciência, e com marcada presença nos últimos finais de semana, em duas rodas ou não. O caminho está pavimentado e a justiça está voando baixo na garupa da maior onda de patriotismo que este país já viu, não vamos parar. Constituição acima de tudo, e o povo acima de todos.


 DIOGO FORJAZ PARA O TRIBUNA DIÁRIA