CPI DESANDOU DE VEZ

General, Brigadeiro e agora os Desembargadores não toleram mais abusos!

09/07/2021 - 18:08 hs

As tensões se agravam ainda mais com o comportamento inconveniente da CPI do COVID.

Depois de engendrar nomes de militares ligados à administração do governo, em meio a tramas de depoentes que se mostraram vazias, ou passíveis de muitas dúvidas, o que suscitou uma declaração contundente do General Braga Neto:

 

"Essa narrativa, afastada dos fatos, atinge as Forças Armadas de forma vil e leviana, tratando-se de uma acusação grave, infundada e, sobretudo, irresponsável. As Forças Armadas não aceitarão qualquer ataque leviano às instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro."

Omar Aziz piorou ainda mais a situação, quando, dessa vez, recebendo o alerta cristalino do Tem. Brig. Batista Junior, comandante da FB:

 "Não temos intenção de proteger quem está à margem da lei. Homem armado não ameaça, não vamos ficar aqui ameaçando."

Agora, foi a vez da ANDES, associação de classe que congrega todos os desembargadores do Brasil, chamar a atenção para as peraltices da bancada, emitindo nota de repúdio veemente, contra o comportamento indecoroso do presidente da CPI para com o advogado de um dos depoentes, o empresário Carlos Wizard:

“é inadmissível que isso ocorra numa sessão do Senado. O direito a palavra do advogado, o asseguramento das prerrogativas profissionais que consubstanciam a amplitude de defesa é sagrado.

Ontem, como se não bastasse o tratamento com as mulheres médicas depoentes, tivemos ontem a consagração máxima do arbítrio com a determinação da prisão de uma pessoa por suposto crime de falso

testemunho quando visivelmente essa pessoa era investigada”.

Realmente essa CPI desandou e parece não conseguir mais voltar aos trilhos.