SOBOM

SOCIEDADE BRASILEIRA DE OZONIOTERAPIA MÉDICA emite nota vigorosa, condenando a politização da medicina e em favor do CFM

15/10/2021 - 19:43 hs



A SOCIEDADE BRASILEIRA DE OZONIOTERAPIA MÉDICA (SOBOM), associação civil sem fins lucrativos, vem através da presente, se manifestar publicamente acerca da recente decisão por parte da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID-19, de incluir o Presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM) na qualidade de “investigado”.

 

Entendemos que é necessária a união da classe médica neste momento, em que vemos a politização de um assunto eminentemente técnico (exercício da Medicina) e no qual não há vencedores ou perdedores, apenas vítimas da enfermidade que assola nossa nação e o resto do mundo.

 

Há de ser observado, sempre, e acima de qualquer questão, o direito constitucional à vida, à saúde e ao bem-estar do ser humano de uma maneira geral, sem partidarismo ou ideologia política, levando em conta e como premissa maior, a boa e ética prática médica e os preceitos fundamentais da Medicina.

 

A discussão a respeito do tratamento precoce (e outras formas de tratamento/prevenção) é uma questão a ser estudada, debatida e encorajada, justamente por estarmos sob a égide do estado democrático, não se tratando apenas de um direito, mas sim um dever, de questionar e praticar o livre exercício do pensamento, como forma de melhorar cada vez mais a Medicina hipocrática em sua essência.

 

Em que pese a existência de discordâncias pontuais, entendemos que a inserção do nosso colega Dr. Mauro Luiz de Britto Ribeiro na CPI da COVID-19, sem que sequer lhe tenha sido dada a oportunidade de uma oitiva prévia (como diversas vezes solicitada), expõe não só a ele, mas toda a classe médica, aà uma sombria e nefasta situação de extremismo que vai contra nosso ordenamento jurídico.

 

A Medicina é uma ciência que idealmente caminha divorciada da política -– trazê-la para essa seara, além de perigoso, carece de respaldo ético e legal, razão pela qual seguiremos apoiando a maior instituição de representação médica de toda a Rrepública, que é o CFM.

 

Nessa esteira, reiteramos também que outro pilar fundamental no momento atual é o da autonomia e soberania do paciente sobre a eleição da terapêutica que será instituída em seu benefício, razão pela qual insistimos na necessidade de oportunizar uma das práticas integrativas e complementares em saúde reconhecida pela Portaria MS nºo. 702, de 21 de março de 2018, a Ozonioterapia, para toda a população brasileira também pelas mãos dos médicos, como forma de tratamento cientificamente reconhecido e comprovado -– https://mtci.bvsalud.org/pt/efetividade-clinica-da-ozonioterapia-medica/ –- como mais uma ferramenta no arsenal terapêutico contra a COVID-19 -– https://saudepublica.bvs.br/lis/resource/48187#.YWdIhRrMKUm -–, analogicamente aos outros meios previamente autorizados.

 

Seguiremos firmes em nosso propósito, que é o de oferecer o melhor do nosso conhecimento em prol dos que dele necessitam.

 

São Paulo, 13 de outubro de 2021.

 

 

MARIA EMILIA GADELHA SERRA

Presidente  em exercício da SOBOM, em nome da Diretoria, Conselhos e Associados