O QUE ME IMPORTA NESTE MUNDO - são as pessoas que eu amo

Última flor do Lácio, Romana de Castro ensina a língua portuguesa

Por Romana de Castro 31/10/2021 - 13:22 hs

O que me importa neste mundo são as pessoas que eu amo. O sentido da vida é representado pelos momentos em que estou ao lado delas; pelas conversas que tenho com elas, mesmo de longe; pelo afeto demonstrado por abraços e carinhos; pela alegria de saber que elas estão bem, que estão felizes, que me amam também.

 

Mas, quando essas pessoas amadas não estão mais presentes? Quando não há mais como abraçá-las, beijá-las, conversar com elas, nem de longe, pois elas não estão mais acessíveis a nós que estamos vivos... É uma dor sem fim, mas o amor é o mesmo. Não vejo diferença nele. Continua lá, e eu me recorro a ele.

 8


E esse fato triste, desolador, presente em nossas vidas, faz-me crer mais e mais que o que importa neste mundo são as pessoas que amamos. Um belo dia, uma bonita paisagem, uma música magnífica – entre outras tantas coisas – são os prazeres deste mundo, mas não estão em primeira conta para mim. Eles não carregam o grau de importância da presença ou da lembrança das pessoas amadas. Nem de longe!

 

Em algum dia, eu também não estarei mais acessível aos meus amados deste mundo. Não sei o que me espera, ninguém pode honestamente afirmar que sabe. Há crenças, mas nunca a certeza. Porém, não estou preocupada com isso. Quero apenas valorizar ao máximo o tempo que eu tenho com as pessoas que amo, seja presencialmente, seja em minha memória.

 

 

QUANDO O PRONOME RELATIVO “QUE” FUNCIONA COMO SUJEITO: o verbo concorda com o antecedente: “Tu que amas sinceramente jamais serás esquecido”; “Foi ele que me ensinou tudo que sei e me proporcionou ser tudo que sou”.

   ROMANA DE CASTRO

* O morro dos ventos uivantes, de Emily Brontë, é a minha dica de leitura de hoje.