ALTA CULTURA - GRANDES NOMES DA MÚSICA CLÁSSICA BRASILEIRA

Francisco Braga

Por Maestro Roberto de Souza Barros Kalili 14/11/2021 - 14:35 hs

Eram outros tempos, em que os orfanatos tinham por objetivo formar cidadãos, assim começou a vida de Francisco Braga (1868 – 1945); que aos oito anos de idade foi jogado no “Asilo dos Meninos Desvalidos”, mas claro, havia um Imperador para zelar pelo abrigo - Dom Pedro II - que se preocupava com as pessoas. Por sua dedicação este menino ingressou no “Conservatório Imperial”. Foi ele quem compôs, entre muitas outras peças importantes, o “Hino á Bandeira” e este trio tão bem tocado aqui, por Gilberto Tinetti ao Piano, com Erich Lehninger ao Violino e Watson Clis no violoncelo é coisa de gênio; nenhuma nota a mais, nenhuma faltando. Precisamos entender o mau uso da linguagem quando nos referimos a este nosso período atual como democrático.

O que são exatamente as instituições democráticas de hoje?

Se não forem mecanismos burocráticos de extração de impostos para alimentar uma rede de trapaças, então eu não sei o que são. Burocracia é (ou não é) o avesso da democracia? Pensa que é da “vontade popular” atirar criancinhas nas

fábricas de loucos degenerados em que nossas instituições se transformaram? Voltemos á questão musical. Existe boa música clássica brasileira. É bom explicar que os europeus utilizam diversos nomes para esta música: renascentista, barroca, romântica, nacionalista, erudita; também os esquimós possuem quarenta e oito palavras para chamar o gelo. Basta uma para nós – música clássica. O importante é conhecermos as melhores obras brasileiras. Deve ser a única função do ministério da cultura valorizar e divulgar nossa cultura. Isto não acontece. É preciso retomar nossas instituições, uma por uma. Perdemos o controle sobre o nosso sofrido investimento no estado. Alimentamos crocodilos que agora nos devoram, mas calma, vamos enfrentar o problema, desarmar a máquina pública como se desarma uma bomba (com muito cuidado, um fio de cada vez). Ressuscitar o legado de nossa nação.

Existe um efeito direto produzido nas “sete estruturas de linguagem” em seu hemisfério cerebral esquerdo quando escuta música clássica, no entanto, o efeito é provocado pela repetição, não basta escutar uma vez. Enquanto nos familiarizamos com uma linguagem mais complexa, a mente se apura. Possuímos a capacidade de elaborar questões semânticas mais profundas e conquistar a compreensão do abstrato. É preciso exercitar estas habilidades para que se desenvolvam, criando novas ligações entre os neurônios.  A boa música tem este papel. É fato. Neurônios foram surpreendidos dançando, como num sonho, para o bom ouvinte da boa música.