PURPURINA, LACRAÇÃO E PRECONCEITO

Suellen Rayane expõe em entrevista, as mazelas e os preconceitos presentes na militância LGBT


Suellen Rayane, mais conhecida nas redes sociais como “Trans de Direita”, vem se posicionando desde 2018 politicamente e por ser transexual pode ocorrer a idéia que pertença a movimentos LGBTQIA+, ou seja, lá mais quantas terminações venham a ter, mas na realidade se posiciona terminantemente contra esses movimentos e escancara a hipocrisia destes movimentos com o tal lugar de fala e faz isso de forma impecável, não a toa vem chamando a atenção de muitos e já esta com mais de 40 mil seguidores no Instagram.




Por essas e outras razões entrevistamos Suellen Rayane, “Trans de Direita”, para conhecer um pouco mais sobre o que pensa e como são seus posicionamentos políticos. Acompanhe:


Tribuna - Quem é a pessoa por trás da Persona Trans de direita?

Suellen RayaneMe chamo Suellen Rayanne, moro em São Paulo e desde 2018 venho causando na internet contra toda essa Esquerda que porventura insiste em destruir nossa nação.

Tribuna - Você é declaradamente “transexual”, mas é nítido que o movimento LGBT não te acolhe, isso acontece por qual motivo?

 

Suellen Rayane - O movimento LGBT+ em si tem pensamentos totalmente diferentes do povo que é de Direita e Conservador. Para o movimento LGBT+ eu apoio um homem no qual deseja me matar ou em breve vai me matar. Um homem homofóbico, Racista e etc...

Por isso se afastam e por incrível que pareça são preconceituosos.

 

Tribuna- O movimento LGBT está fixo em duas pautas atualmente de forma ferrenha, a linguagem neutra e os banheiros de gênero neutro, na sua visão porque essas duas pautas são tão importantes para esse grupo?

 

Suellen Rayane O movimento LGBT+ desde sua criação sempre vem querendo privilégios para si. E os próprios se tornam totalmente contraditórios consigo mesmo falando sobre Igualdade e ao mesmo tempo querendo privilégios que valem somente pra determinada sexualidade que no caso é a deles. Lutam contra o Preconceito, mas são preconceituosos consigo mesmos. E está sendo inventado agora essa de linguagem Neutra algo totalmente irrelevante. Como também essa de banheiros multigênero onde vai desrespeitar o espaço da mulher literalmente.

 Vindo dos Pampas, o retorno : “Bem-vindxs”: Escola do RS usa linguagem  neutra e é criticada


Tribuna- Recentemente tivemos o caso Mauricio Souza que foi perseguido por esses ativistas devido a uma opinião sobre um personagem que não existe, o que achou desta ação e da resposta da população que fez o jogador saltar de 200 mil seguidores no Instagram para 2,7 milhões em questão de 1 semana? E a questão de os patrocinadores exigirem uma punição ao jogador que foi executada? Podemos afirmar que a militância LGBT é um dos grupos mais poderosos hoje em dia?

 

Suellen Rayane - A ação de Maurício Souza foi ótima, ele apenas disse o que pensava. Isso é liberdade de expressão e não homofobia como costumam afirmar a Esquerda. Até eu concordo com o Maurício, pra que mudar tudo e confundir a cabeça das crianças? Pra que mexer com nossas crianças e boa maioria concordou com tudo isso, por isso ele saltou em números de seguidores. Nós somos maioria hoje e conseguirmos mostrar isso

 Gadú Ananauê


Tribuna  - Pegando carona nessa onda de lacração que virou moda, além do Mauricio Souza, tivemos o caso do Monark no Flow é possível afirmar que estes tipos de comportamento onde é exigida dos patrocinadores uma punição a quem emite uma opinião contrária a qualquer uma dessas causas, podem pressupor que esse tipo de comportamento, em vez de gerar uma simpatia pela causa, traz uma antipatia, ou seja, a partir do momento que tudo é homofobia, tudo é racismo e colocar todo mundo como possivelmente homofóbico, possivelmente racista, não é uma forma de segregar ainda mais a nossa sociedade, e com isso criar uma eterna luta contra essas pautas que só alimenta a própria causa LGBT?


Ou seja, se sempre existir esse conflito, sempre terão algo para lutar, se porventura não existir essa causa, não terão contra o que lutar?


Suellen RayaneExatamente, hoje em dia tudo é Homofobia. Vivemos numa sociedade totalmente cheia de mimimi. Por isso eles vivem lutando por algo que eles mesmo fazem. Como por exemplo, são preconceituosos. Essa luta não terá fim enquanto continuarem acreditando e indo na onda da esquerda mimizenta.

 

Tribuna- Falando em respeito, acredito que o respeito deva ser dado a qualquer um independente de opção sexual, cor, raça ou credo! Como você lida com o fato de ser assumidamente homossexual e como a sociedade lhe trata?

 

Suellen Rayane - Eu lido normalmente. Geralmente não sofro preconceito com isso. Pessoas me olham normal na rua. Algumas até admiram eu não vejo problema nisso. Para comunidade LGBT+ quando alguém fica olhando demais já é motivo de dizer que é Homofobia. Eu não sou assim. Eu Respeito o espaço de todos e sou respeitada.


Ogro 👉 no Twitter:  


Tribuna - Você acredita que existe por parte deste grupo LGBT, uma discriminação contra os valores cristãos?

 

Suellen RayaneSim, existe... Temos que aprender a respeitar a fé dos cristãos. Eles acreditam em algo. Tem o direito de acreditar. Quem sou eu para mudar. Como também existe LGBTS e eles não tentam forçar mudar aqueles que não querem. Eles desrespeitam muito a fé. Existe uma discriminação muito grande contra os cristãos hoje em dia. Por mim deveria haver uma lei contra essa discriminação.

 Integrantes da Marcha das Vadias quebram imagens e realizam sacrilégios na  JMJ | Ancoradouro

Tribuna - Hoje como você se sente perante a sociedade?

 

Suellen Rayane - Eu me sinto uma pessoa livre, respeitada e muito bem aceita sim em alguns locais. Basta saber entrar com respeito e sair. Quando entramos com respeito e saímos tudo é diferente. Todos respeitam. Basta ter postura e saber se comportar.

 


Tribuna - Recentemente vi uma postagem sua onde uma travesti quis te esfaquear por usar uma camiseta com a foto do Bolsonaro, a partir do momento que se faz uso desta camiseta, não tem mais causa LGBT?

 

Suellen Rayane - Eu não faço parte da comunidade LGBT. Nunca me senti a vontade num meio contraditório. Então eu sempre me sentir livre e decidida em qual caminho seguir.

 

Tribuna - Ano que vem ano eleitoral, existe alguma possibilidade da sua candidatura?

 

Suellen Rayane - Ainda estou em dúvidas. Não é nada certo ainda. Mas avisarei caso aconteça.


Interessante constatar que apesar de ser uma mulher Trans, o movimento LGBT não reconhece a Trans de Direita como alguém a ser defendido, e com isso percebemos que não existe uma causa genuína e sim apenas um discurso cheio de lacre e purpurina e só. Esses movimentos infelizmente não representam ninguém a não serem eles próprios, se apropriam de bandeiras apenas para uso político e acabam criando uma casta de pessoas que podem tudo desde que compactuem com suas causas, e esta bela entrevista com a Trans de Direita deixa isso muito claro...