EUROPA À BEIRA DE UMA GUERRA CIVIL

População reage às medidas restritivas em vários países.

Por France-Presse - Ed. Tribuna Diária 22/11/2021 - 15:48 hs

 

na tarde de sábado, cerca de 40.000 pessoas foram às ruas de Viena aos gritos de "ditadura", o levante também foi registrado em outras partes da Europa, onde as restrições estão sendo adotadas pelos governos.

A Holanda viveu no domingo sua terceira noite de protestos, com fogos de artifício e vandalismo nas cidades de Groningen e Leeuwarden, no norte, assim como em Enschede, no leste, e em Tilburg, no sul, informa a Agence France-Presse.

Nesta segunda-feira, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, chamou os atos de "pura violência", cometidos por "idiotas".

Desde meia-noite, a Áustria entrou oficialmente em confinamento, que provocou protestos e revolta civil violenta. Lojas, restaurantes, mercados de Natal, salas de espetáculo e salões de beleza fecharam as portas nesta segunda-feira (22) em Viena. Mas as escolas permanecem abertas e as ruas da capital estavam movimentadas durante a manhã.

Teoricamente, 8,9 milhões de austríacos testão proibidos de sair de casa, exceto para fazer compras, praticar esportes ou receber atendimento médico.

Belgica e Antilhas francesas também aderiram aos protestos. Em Bruxelas foram registrados confrontos no domingo, quando dezenas de milhares de pessoas se reuniram para protestar contra as medidas destinadas aos não vacinados. Desde a chegada das vacinas contra a covid-19 e das campanhas de imunização, nenhum país da União Europeia (UE) havia ousado impor um novo confinamento.