DINASTIA EXILADA NOMEIA DIPLOMATA EM PORTUGAL

Príncipe Dom Leopoldo: Embaixador da Casa Real e Ducal de Arpades


No passado dia 11 de maio de 2022 foi nomeado Embaixador da Casa de Arpades em Portugal, o Chanceler e Rei d’Armas, Dom Leopoldo Humberto Frederico Nóbrega de Drummond Ludovice. A nomeação foi realizada por Decreto Régio exarado por Sua Alteza Real, Dom Evandro Drummond Monteiro de Barros (Dom Evandro I), Chefe de Nome e de Armas da Casa Real e Ducal de Arpades, Grão-Príncipe e Duque da Hungria (Rei de Iure), o qual, conjuntamente com sua Nobreza, foi assinado e registrado nas crónicas dessa Augusta Casa.

 

Apresentação biográfica

Dom Leopoldo Humberto Frederico Nóbrega de Drummond Ludovice nasceu a 4 de janeiro de 1961, na então província de Sá da Bandeira, em Angola (na altura colónia portuguesa).

É descendente da Casa Real e Ducal de Arpades, por via paterna e materna e, por linha varonil primogénita, de uma família de arquitetos iniciada no século XVIII, com João Federico Ludovice, sendo seu pai, José Frederico Bravo de Drummond Ludovice, o quarto arquiteto na família Ludovice.

É licenciado em Design e mestre em Arquitetura Modernista e Cultura Visual, tendo subordinado a sua dissertação ao tema A obra do arquiteto e compositor José Frederico Ludovice, a qual foi apresentada pelo próprio em diversas Universidades em Portugal e no estrangeiro.

Dedica-se desde 1977 à pintura, ao desenho, à genealogia, à heráldica e à arquitetura. Tem participado em várias exposições e publicado artigos científicos em diversos periódicos e associações. No ano de 1991, participou na realização do livro de família, Ludwig - Ludovice, intitulado, Stammtafel der Familie Ludwig aus Obersteinach bai Schwabisch Hall Meekenhaim, em colaboração com o seu parente Gerhard Ludwig, representante do ramo alemão.

Para além de autor do novo método de Educação Visual para deficientes visuais possui ainda formação pós-graduada em Genealogia, pela Universidade Autónoma de Lisboa.

Publicou em 2009, no N.º 25 da Revista Raízes e Memórias, da Associação Portuguesa de Genealogia, os Apontamentos da genealogia da família Ludovice e, enquanto membro da Academia Internacional de Heráldica apresentou a Obra Heráldica e Genealógica. Em 2011 iniciou uma tese sobre a origem genealógica do Almirante Cristóvão Colombo, tomando como base interpretativa a heráldica das suas Armas. Em 2013, tendo como base o seu trabalho de Mestrado, sobre arquitetura Modernista, lança o livro, O arquiteto compositor José Frederico Ludovice, na cidade do Lubango, em Angola onde, também, a convite do seu Arcebispado, projetou a requalificação da Esplanada Capela da Sra. Do Monte que, anos antes, em 1962, havia sido iniciada pelo seu pai. No ano seguinte, participou no livro dos Pintores do Oeste.

No campo do design de arquitetura tem-se dedicado à projeção de vários trabalhos de design de interiores, bem como à reconstrução de casas tradicionais rústicas.

Para além da atividade de investigação científica e profissional, leciona, desde 1983, Artes Visuais e Design no Externato João Alberto Faria em Arruda dos Vinhos.

Tem ainda realizado diversas comunicações destacando-se, em 2017, A Torre de Santa Cruz, Os Ludovice Xavier Rodrigues, O revivalismo da arquitetura romântica em Portugal, A revelação de uma paixão que virou lenda e Um verdadeiro ex-Libris da história de Santa Cruz.

Tem ainda realizado entrevistas em diversos órgãos de Comunicação Social, merecendo destaque a realizada no dia 18 de novembro de 2017, na Rádio de Mafra - RCM, a propósito da comemoração dos trezentos anos do lançamento da primeira pedra do palácio convento de Mafra.

Em 2019 lançou, no Palácio - Convento de Mafra, com base em trinta anos de investigação, a obra A Mão direita de D. João V, João Federico Ludovici - O arquiteto Mor do Reino (seu heptavô por linha varonil) onde, para além de desenhar uma biografia de João Federico Ludovici, desenvolveu um estudo de análise exegética do Modelo Arquitetónico Ludoviciano e a sua génese.

O livro foi ainda apresentado no Instituto Superior de Ciências da Administração - ISCAD, em Lisboa, e no Arquivo Municipal de Ponte de Lima.

No dia 13 de julho de 2019 foi publicado pelo Padre Gonçalo de Almada Portocarrero, um artigo no jornal Observador, intitulado Portugal católico, património da humanidade, onde foi feita, com destaque, referência a esse livro. Finalmente, em dezembro de 2019 publicou, na Real Gazeta do Alto Minho, o artigo, Um visconde, um rei e um arquiteto, na realização de um sonho - a construção de um convento para Vila de Mafra.

Em janeiro de 2022, como membro do Corpo de Nobreza da Casa Real e Ducal de Arpades é agraciado com o título de Marquês da Nossa Senhora da Conceição, com direito ao tratamento de Dom, no exercício do qual lhe é conferido o cargo de Rei d´Armas. Em maio de 2022 foi nomeado pelo Chefe dinástico da Casa Real e Ducal de Arpades, Sua Alteza Real, Dom Evandro I, para o cargo de Embaixador da Casa Real e Ducal de Arpades em Portugal.

 

Como nota final fica a referência da sua pertença às Ordens Militares que a seguir se indicam:

- Comendador da Ordem Militar de São Sebastião da dita Frecha – 2009.

- Oficial Comendador da Real Ordem da Trindade – 2011.

- Cavaleiro na Ordo Supremus Militarís Templi Hierosolymitani – 2012.