PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA

Não se constrói felicidade em cima de infelicidade


É sabido, que milhões de pessoas são perseguidas mundo a fora por professarem sua fé em Deus. Assunto bem colocado pelo presidente Jair Messias Bolsonaro em seu discurso na ONU em 21/09/2021. Segundo a organização cristã internacional Portas Abertas, aproximadamente 50 países sofrem perseguição religiosa extrema e severa no mundo. As regiões que mais sofrem perseguição severa fazem parte da Ásia, África e América Latina. Aproximadamente 340 milhões de pessoas sofrem perseguição religiosa no mundo.

 


Há relatos em diversos livros, de homens e mulheres que viveram em países onde a perseguição é severa. Os relatos são demasiadamente duros, tamanho vitupério que estes conheceram. Custa conceber que em tempos modernos, ainda exista tanta intolerância e sectarismo.

 

Milhares de cristãos pelo mundo não podem fazer reuniões religiosas públicas. Igrejas são queimadas e destruídas e seus membros são presos e em muitos casos torturados. Apanham; recebem choques; comem restos; são vendidos no tráfico humano; e em muitos casos são executados.

 

Após a pandemia, a perseguição religiosa se tornou ainda mais severa nesses países. Em alguns países, todas as igrejas que lograram se manter de pé, tiveram que fechar suas portas. E mesmo depois que os protocolos ditatoriais foram afrouxados as igrejas não puderam reabrir.


 

Geralmente o próprio governo dos países é quem persegue os cristãos pelo mundo. Existe também, grupos radicais que contribuem com o governo para que cristãos que vivem de maneira clandestina sejam descobertos e punidos. Além de haver métodos de controle muito sofisticados e tecnológicos, como na China por exemplo, capazes de identificar rostos, contribuindo assim com a ditadura e com a intolerância religiosa dos mesmos.

 750 membros de igreja da China foram presos e torturados em três meses -  Guiame


As famílias das pessoas que são encarceradas por professarem sua fé, passam por extrema privação financeira. Crianças crescem sem os cuidados e afeto de seus pais, simplesmente porque seus pais acreditam em Deus.

 

Em muitos países é proibido não somente fazer culto público como também possuir Bíblias. Até mesmo bíblias digitais que se baixa em formato de aplicativo são proibidas. Houve tempos em que os fiéis dividiam bíblias de papel em folhas para que pudessem esconder com mais facilidade. E enquanto estavam com aquela pequena fração na Bíblia, liam, decoravam, guardavam em suas mentes e corações, pois sabiam que talvez, nunca mais teriam a oportunidade de ler aquele trecho novamente.

 

A perseguição religiosa sempre existiu. Especialmente depois de Jesus. Há relatos na própria Bíblia, de cristãos sendo queimados vivos; sendo apedrejados; crucificados. Há outros registros históricos de cristãos sendo jogados em arenas para lutar com leões e outros tipos de torturas, das mais macabras e abjetas.

 

A situação na Síria é uma das mais dramáticas

Supõe-se que nós, seres humanos, evoluamos com o tempo. Porém, percebo uma onda muito forte de perseguição religiosa e intolerância, até mesmo em países como o Brasil, que nunca viveu esse tipo de perseguição mais severa por parte do governo. Porém, podemos ver um prenúncio do que pode vir a se tornar uma perseguição severa. Isso se a perseguição leve que vivemos se estabelecer como algo normal, aceitável e consuetudinário.

China faz 'lavagem cerebral' em cristãos presos em instalações secretas,  diz relatório - Guiame 

Um refugiado chinês, que sofreu perseguição de forma extremamente violenta sob o regime comunista, relatou em um de seus livros, algo muito intrigante. Quando ele veio para o ocidente, ele parou de apanhar, não o prenderam mais e ele pôde professar sua fé livremente. Porém passou a viver uma outra classe de perseguição, começou a sofrer calúnia, difamação e achincalhamento. Nesse relato, ele diz ter sofrido muito ouvindo mentiras ao seu respeito, relatou que esse tipo de perseguição doeu mais do que apanhar fisicamente.

 

A constituição federal assegura a todo brasileiro o direito a liberdade de consciência e de crença, o livre exercício dos cultos religiosos e a proteção aos locais de culto e as suas liturgias. Porém temos sim, vivido casos de intolerância religiosa. Existe um ataque sim, contra a liberdade religiosa e contra a liberdade de expressão nunca antes vista em nosso país.

 

Durante a pandemia houve algumas tentativas de fechamento de igrejas. Muitas fecharam, e por não terem uma estrutura financeira acabaram não reabrindo. Muito semelhante ao que ocorreu em alguns desses países em que há perseguição severa.

 

Nos últimos tempos temos visto radicais de esquerda invadindo igrejas e interrompendo missas para fazer vandalismo e atentado ao pudor. Em toda o continente americano vemos casos como esses e de vandalismo contra igrejas. Nos últimos anos também temos visto em manifestações, cenas grotescas como pessoas introduzindo crucifixo no aparelho excretor e encenações sangrentas e satânicas. Temos visto também deboche e falta de respeito com a figura de Jesus Cristo em apresentações carnavalescas e filmes. No Brasil, os cristãos vem sofrendo: calúnia; difamação; achincalhamento; cancelamento; associação mentirosa de líderes religiosos com notícias de homofobia; hostilidade; abuso verbal e discriminação por sua postura em questões como aborto, sexualidade e orientação de gênero.

 Integrantes da Marcha das Vadias quebram imagens e realizam sacrilégios na  JMJ - Ancoradouro


A livre expressão tem sido perseguida diariamente, impedindo que conservadores exprimam seus princípios de vida. O cenário está sendo montado para que a perseguição religiosa severa ocorra e as pessoas já estejam acostumadas com esta prática.



Não podemos nos acostumar e nem nos calar ante a intolerância religiosa. Não podemos nos cansar de exprimir nossa opinião por medo de ataques. Diariamente vemos pessoas tentando estabelecer absurdos como coisas normais e querem nos tirar até mesmo o direito de discordar. Querem simplesmente impor ideologias hedonistas, epicuristas, marxistas e até satânicas, sem sequer serem contestadas.


Talvez a esquerda queira calar a voz conservadora, por perceberem que seus próprios argumentos são fracos e perderiam para os argumentos conservadores em um debate.


Então ao invés de debater ideias, preferem simplesmente intimidar e coagir quem tem uma opinião contrária. Assim podem estabelecer como regra suas visões de mundo promíscuas e encontrar um pequeno e rápido lugar confortável para suas consciências perturbadas.




Porém, por mais que queiram impor sua maneira doentia de ver a vida, jamais conseguirão com isso encontrar a cura para suas almas desesperadas e nem alívio completo para suas consciências pesadas. Não se cura uma ferida jogando lixo nela.


O ódio da esquerda e de alguns outros provenientes de problemas latentes na alma só podem receber o alívio, se voltarem seus corações ao Criador. Não se constrói felicidade em cima de infelicidade, muito menos a tão falada “liberdade” em cima de cerceamento de ideias.